sábado, 1 de novembro de 2014

Apego...

Oie!

Porque nos apegamos? Será que gostamos de sofrer sempre e sempre e sempre ou a vida nos coloca em becos sem saída?

Agora estou passando por uma fase onde o meu apego com os animais está sendo testado, vivo numa guerra interna onde a razão e a emoção travam uma batalha. 

Me vejo hoje como uma pessoa forte, uma pessoa que tem sim capacidade de se superar sempre, e que depois dessa prova que Deus está me fazendo passar, serei uma outra pessoa...uma pessoa muito mais consciente, realista, e amorosa. Não que não haja amor, há...e ele transborda! No momento ele está no limiar entre o destino e a gratidão, a missão dada e a aceitação...

Não estou triste nem nada, estou apenas observando....e digo lhe meu amigo e minha amiga....há muito mais em uma troca de olhares do que em mil palavras, a ponto de eu me questionar, será que ele enxerga...e a resposta despretenciosa me fazer entender tudo: "Ele enxerga mais do que você pode imaginar!"

Enquanto escrevo, observo o Zé (que não é zé...precisamos de um nome unissex!), e percebo o porque me apego...simplesmente porque é puro, é o olhar mais puro e sincero, sem segundas intenções ou interesses, sem maldade....um olhar terno, que só anseia por uma coisa ração amor!

Patricia Gidi

Como será quando tudo acabar? Me pergunto todos os dias...